http://www.guiamaritimo.com/gm_wp/noticias/software-brasileiro-para-gestao-portuaria-promete-aumento-da-produtividade-operacional/

Criado pela Athenas, o TOS+ auxilia os terminais no aumento da produtividade, redução de custos e ganho de receita.

Cleci Leão 

A falta de automação das operações em terminais logísticos, diante da alta complexidade dos processos documentais e legislação e a necessidade de agilidade nos processos sempre foram um problema para as atividades de importação e exportação, também carente de integração com outros sistemas e hardwares (biometria, OCR, scanners, balanças, etc.).

A Athenas Tecnologia em Logística desenvolveu em 2015 o software TOS+ (Terminal Operating System PLUS) para automação e otimização dos processos de negócio. A empresa anunciou que a ferramenta trata a gestão do negócio pela ótica dos seus usuários, gerenciando as principais atividades da operação de forma integrada e segundo os requisitos legais. De acordo com Marcos Barcellos, CEO da Athenas, o produto foi desenvolvido para atender terminais logísticos (portos secos e molhados) que operem qualquer tipo de carga (granel, carga geral e container) e de qualquer modal.

Marcello Di Gregorio, Diretor Presidente da Super Terminais e cliente desde o início do ano, confirmou que o TOS+ “é um sistema abrangente e permeável a todas as operações do Terminal (sejam internas e externas), permitindo a automação e a integração das atividades”. Também satisfeito com a agilidade nas operações, Fábio Rocha, Gerente de Tecnologia do Sepetiba Tecon (CSN) diz que a expectativa da empresa é que, “por meio da integração sistêmica com equipamentos e a automatização de diversos processos operacionais possamos reduzir custos e atender melhor nossos clientes”.

A Athenas espera que a ferramenta chegue a gerar redução de até 95% do fluxo físico de papéis, aumento de receitas de até 15% com o aumento da automação, redução de até 35% nos custos de overhead, e corte geral de custos operacionais chegando a 10%.

De acordo com Marcos Barcellos, “os processos nos clientes são em sua grande maioria manuais e com muito retrabalho. Há muitos custos de overhead e erros naturais de processos manuais ou não integrados. Além disso, por falta de uma visão do todo, as decisões operacionais e nos negócios são tomadas com menos assertividade e eficiência, gerando custos extras. Para garantir a atuação do software, a Athenas atende regulamentações e portarias locais como o Ato Declaratório 02/2003, DTE, BDCC, portarias Coanas aplicáveis pela Receita Federal, Sigvig do MAPA e ISPS Code (internacional).